quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Tem dia que religiosidade desanima...

Bom dia galera, eu estava perambulando pelo blog do @PrAndreQueiroz e me deparei com esse texto. Quero compartilhar com vocês. Se liga ..



Sério... sempre que alguém elogia a outro ser-humano e diz que ele "é o cara" já aparece alguém dizendo: "Discordo, Jesus é o cara..."

As vezes é pior ainda.

Quando alguém diz que adora uma comida, está obviamente dizendo que gostou e não que literalmente se prostra e adora o alimento. Se é tão óbvio assim até para uma criança entender por que algumas pessoas tentam dar uma lição de moral ignorante e totalmente desnecessária dizendo: "Eu só adoro a Jesus"?

Outro dia eu brinquei com um pastor dizendo que a reunião seria melhor pelo fato de eu estar usando a camisa do São Paulo (uma piada óbvia) e a resposta dele foi: Isto é muita idolatria...

Ei pastor, me poupe!

Chego a conclusão que pessoas desorientadas na fé não sabem fazer o bem e acham que esse tipo de religiosidade barata é atraente. Aqui vai um recado: Existem poucas coisas mais ridículas do que este tipo de comportamento. Ele não edifica, não ajuda, não constrói, não muda a igreja e muito menos a sociedade.

Julgar é exatamente isso; interpretar a palavra das pessoas negativamente mesmo que seja óbvio que a intenção não era aquela.

Ficam as perguntas para todos nós pensarmos. Vale a pena ser deste jeito? Isto é fé? Esta é a melhor ocupação disponível para os filhos de Deus?

VAMOS ACORDAR GALERA!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Eis-me aqui?


Cristãos Queimados vivos na Nigéria

É complicado você olhar para si mesmo e muitas vezes não ter resposta pra essa simples pergunta. Será mesmo que quando dizemos: “Eis-me aqui Senhor”? Estamos realmente dispostos a obedecer a esse chamado?

Estamos tão cegos que somente o culto de domingo é a nossa “prioridade”. Ou então vamos porque temos algumas “funções” na Igreja e pensamos: “tenho que tocar no louvor, tem que ministrar o cultinho para as crianças, etc.”. Mas a grande verdade é que esses pensamentos são como os dos fariseus, que faziam (cumpriam) suas funções meramente por “OBRIGAÇÃO”. Deus não precisa do meu serviço ou de qualquer um que seja ELE é DEUS, o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim.

Nós deveríamos ser somente como o barro nas mãos do oleiro, ser moldado segundo o caráter de Cristo diariamente, deixar que a Palavra de Deus nos transforme e que possamos “devorar” a Bíblia, deixando-a ler a nossa própria vida. Eu e você por natureza somos maus, e não importa quão “boas obras” façamos para o Reino de Deus, se não houver o agir e o efetuar do Espírito Santo, se não houver amor, fé mostrada em mansidão de sabedoria será morta.

Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade - Filipenses 2:13

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta Tiago - 2:26

Deus não está interessado em nossos sacrifícios tolos, não quer nos ver sentado em bancos de igrejas como pregos, tão pouco que entremos em “ministérios” para termos uma função e “obrigação” na igreja. Deus não quer nossas boas obras que irão nos mostrar que somos bom, que fazemos algo para o próximo, que nos preocupamos ou isso ou aquilo. Deus conhece nosso coração, não há como esconder d’Ele coisa alguma. Para mim, boas obras são resultados da sua , reflexo daquilo que você acredita e conseqüência do agir e efetuar do Espírito Santo em sua vida.

Isaías respondeu a esse chamado:

"Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim" - Isaías 6:8

Cristãos Mortos na Etiópia
A missão de Isaias se tornou paradoxal em seus efeitos, tal como o é a da proclamação da palavra de Deus (leia Mateus 13:13-15; Romanos 11:7-10,25). Quando Deus diz a Isaías VAI, a palavra profética cerrou o caminho de Deus para os rebeldes, orgulhosos e hipócritas (Cap 29:13-16; 65:1-7), mas o abre para os surdos, os cegos, os humildes e os pobres (Cap 29:18-19).

A resposta para o MEU e o SEU “Eis-me” aqui é essa: Que andemos com os leprosos, os mendigos, as prostitutas, os pobres, as viúvas, os órfãos, etc.

Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes.
Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento - Mateus 9:12-13

Você está disposto?

Boa Semana a Todos,
Em Criso,
@Faysonmerege

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O que temos plantado ?



Olá transformados tudo bem com vocês ?

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.
Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.  Gálatas 6:7,8

Certamente você ficaria surpreso se plantasse milho e colhesse aboborá. A lei natural diz que colhemos o que plantamos, e isso também é verdadeiro para outras áreas.
Aqueles que fazem mexericos a respeito de seus amigos perderam a amizade deles. Toda ação tem sua reação.
Se plantar para satisfazer o seus próprios desejos, terá uma colheita de tristeza e pecados.
Se plantar para agradar a DEUS, colherá alegria e vida eterna.

Que éspecie de semente temos plantado ?

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Imagens são como ônibus

Uma imagem não é algo fixo. Imagens são como janelas através das quais olhamos para o que está longe. Cada janela nos oferece uma visão nova. As imagens convidam cada uma a formar sua própria imagem. Elas abrem nossos olhos. Mas deixam-nos também a liberdade de enxergar mais além, se nãos nos disserem nada.

As imagens querem abrir uma janela para que possamos ver Jesus de uma maneira nova. Mostram-nos dele algo que a teologia conceitual não consegue mostrar. Atualizadas, revelam coisas novas na figura de Jesus. Imagens são como ônibus. Elas nos põem em movimento. Levam-nos para a frente. Mas o ônibus, às vezes param. Não conseguimos ir mais adiante. Temos então que descer e então tomar outro ônibus; temos que procurar outras imagens que nos permitam descobrir em Jesus coisas novas.

Optamos por algumas imagens tradicionais de Jesus, mas também por outras dimensões desconhecidas que, à primeira vista, podem nos parecer estranhas. Escolhemos propositalmente algumas imagens estranhas para que não refletissem os clichês conhecidos que sempre são usados em muitas pregações, mas que permanecem sem efeito. As imagens de Jesus querem nos fazer bem. Querem não apenas nos mostrar Jesus sob uma luz diferente, mas também nos convidar a um novo estilo de vida. As imagens de Jesus também são sempre imagens de uma vida bem-sucedida.

Mas a decisão de esboçarmos uma simples série de imagens, em vez de escrevermos uma história ou uma teologia sistemática de Jesus, também tem sua razão teológica. As imagens nos mostram que, em última análise, Jesus não pode ser apreendido, ele sempre escapa aos nossos conceitos. Por outro lado, as imagens que escolhemos não são inventadas. Todas têm por objetivo trazer para mais perto de nós o Jesus histórico. Jesus é uma pessoa histórica, um acontecimento histórico. Sua vida e atuação podem ser reconstruídas a partir dos dados dos evangelhos. Já no ano 90 d.C. o grego Lucas colocava os acontecimentos da vida de Jesus dentro de uma moldura histórica. O que lhe importava era o fato de Jesus haver mudado o curso dos acontecimentos. Sua história não se encerra com sua morte. Ela continua. Partindo de Nazaré, na Galileia, e passando por Jerusalém, a cidade sagrada do judaísmo, tem início um movimento que se espalha pelo mundo inteiro até chegar a Roma, a capital do Império Romano. Ainda hoje esse movimento continua vivo, tendo, como nenhum outro, modificado a história.


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO?


Existem alguns textos da Palavra de Deus, que me fazem pensar por dias, meses e até anos.
Estou meditando há uns 5 anos sobre o texto de Isaías 58. Inclusive, meu segundo projeto de livro, no qual já estou trabalhando, vai ser em torno desse texto.
Mas já fazem alguns dias que tenho meditado no texto de Tiago 4:17, que diz assim:
“Aquele, pois, que sabe o bem que deve fazer e não o faz, comete pecado.”
Nós sempre achamos que para viver uma vida reta diante de Deus, basta nos esforçarmos e lutarmos para não fazer coisas erradas. Basta entrarmos numa luta ferrenha contra o pecado, contra a carne, contra o mundo. Basta mantermos nossas convicções em meio ao caos moral em que vivemos. Mas isso não é o suficiente.
Esse texto diz que, se eu sei que devo fazer algo que é correto, se eu tenho a oportunidade de fazer o bem, de ser sal e luz. Se eu tenho a oportunidade de ajudar alguém, e não o faço, seja por preguiça, comodismo, ou indiferença, eu estou pecando.
É isso que a Bíblia diz. Deus não nos chamou para uma vida de omissão. Antes, Deus espera de nós que tenhamos INICIATIVA. Iniciativa de viver na prática os seus ensinamentos. 
Se não fazemos aquilo que está ao nosso alcance fazer, estamos pecando.
Hoje toda vez que entro no twitter, no facebook ou na internet,  leio artigos criticando a igreja. De como a igreja está ‘perdida’, desvirtuada. Pastores e líderes caminhando em  uma ‘unção’ desenfreada por dinheiro e poder, e pouco amor para com o próximo. Pouca palavra. Pouco ensino.
E eu concordo que a igreja, de um modo geral, perdeu seu rumo.
Mas o que me preocupa é outra coisa.
A igreja, na minha concepção, é formada por pessoas.
E aí eu pergunto: o que é que você tem feito?
Como está a sua vida com Deus, meu irmão, minha irmã? Você tem orado, tem lido a Bíblia, tem falado com Deus? Se eu te perguntar agora, o que Deus falou com você nesta semana, você teria o que compartilhar?
Porque meu querido, minha querida, não é a igreja, nem o pastor que vai te levar para o céu. Mas sim uma fé autêntica no Senhor Jesus.
E hoje, infelizmente, está difícil de achar crente autêntico.
Tem crente com os `dedos` afiados na internet, descendo a lenha nas heresias e nas verdadeiras balsfêmias e profanações ocorrendo dentro da igreja.
Mas será que têm o mesmo afinco em buscar SER igreja?
Você está praticando os mandamentos do Senhor? Você está buscando viver uma vida de Santidade, Obediência e Renúncia?
Tem buscado praticar esse versículo de Tiago 4.17?
Se a maioria dos crentes se ocupasse mais em buscar ao Senhor, buscar conhecê-Lo, consagrar-se pra Ele, do que ficar na rede, criticando tudo o que está de errado na igreja, muita coisa seria diferente.
Se postássemos mais versículos, compartilhássemos mais revelações do Senhor, nós estaríamos usando a rede para edificação, e quem sabe, sendo instrumentos para a renovação da mente de muitas pessoas.
A igreja está mal sim. Muitas coisas estão erradas.
Mas e vc? Você realmente está buscando a Deus, e querendo viver uma vida de poder?
A vida cristã é mais do que discussão sobre quem está pregando heresia ou não.
A vida com Deus é feita em secreto, em oração, em jejum, em renúncia, em serviço ao próximo. 
O resto é conversa. E de conversa, o mundo está cheio.
O mundo precisa é de vida. Vida cristã autêntica. Vida que transmite o amor de Deus. Vida que pode ser usada por Deus.
Fica aqui portanto, essa reflexão. Fica aqui a pergunta: O que você está fazendo?

Originalmente publicado no blog WebEvangelista pela editora Juliana

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Desistir ?

Pensando em Desistir ? Jesus foi até o fim e venceu. http://twitpic.com/7bz3nr


Acho que todos nos já pensamos em desistir alguma vez na vida né.
Agora vamos ver uma coisinha, ninguém, ABSOLUTAMENTE NINGUÉM conquistou, ou conseguiu algo sem perseverança sem animo, sem dedicação ..
O que acontece hoje é que nos achamos que por sermos cristãos, nos somos super, tudo tem que acontecer do jeito que queremos, porém esquecemos que é Cristo o engenheiro da nossa vida.
Ai o tempo passa as coisas não acontece, alguns problemas surgem, e o que nos fazemos desistimos ...

Será que Cristo desistiria ? Será que ele abandonaria, o seu proposito por causa de alguns problemas, ou porque a sua oração ainda não foi atendida .. Ele não desistiu da cruz, para que nos não viéssemos a desistir da vida (Hermes Silva)

"Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo" João 16:33

Não desista, siga em frente .. pois JESUS já venceu o mundo e até a morte, e no nome dele nos somos mais que vencedores ..

Não desista insista ♫♫'

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Tempo, mano velho


Vivendo em um mundo absolutamente agitado, globalizado, imediatista, de resultados cobrados e esperados, defrontamo-nos com uma crise sem precedentes na gestão do nosso tempo. Inúmeros itens, profissionais ou domésticos, úteis ou fúteis, seculares ou sagrados, “roubam-nos” minutos preciosos que fazem dissipar o dia. Fica a impressão que, pra tudo o que temos ou gostaríamos de fazer, o dia necessitaria de umas 34 horas. A questão é: como dividir o tempo entre todas as tarefas que necessitam ser realizadas? Onde está o manual de gestão do tempo com sabedoria?

Quando olhamos para as escrituras, observamos que o Espírito Santo também se preocupa com esse tópico das nossas vidas. Antes de qualquer abordagem, a Bíblia nos assegura como somos efêmeros, de passagem rápida por este mundo.

Os meus dias são como a sombra que declina, e eu, como a erva, me vou secando.” Salmo 102:11

Logo, resta-nos utilizar bem a ferramenta do tempo para que a nossa vida tenha uma boa história a ser contada, um legado a ser conhecido por gerações que nos sucederão.

O livro de Eclesiastes dá-nos algumas boas direções sobre o tempo da nossa vida. O capítulo 3, versos de 1-8 falam sobre o “tempo das coisas”, isto é, tudo tem o seu tempo determinado debaixo do sol. Interessante observar como o autor joga as frases com as antíteses (nascer, morrer; espalhar, ajuntar; guerra, paz) e como ele enfatiza o que para muitos de nós seria indubitável perda. Há, efetivamente, tempo de morrer, tempo de arrancar, de derribar, de espalhar, de apartar, de perder, de lançar fora, há tempo de ficar calado. Na esfera da pró-atividade, reatividade ou hiperatividade que nos cerca sem cessar, é difícil admitir que exista o tempo de abrir mão de determinadas coisas ou até ser o agente ativo de sua destruição, para o nosso próprio bem, obedecendo a uma ordem estipulada por Deus.

Outro importante texto sobre o tempo é citado em Efésios 5: 15-17.

"Vede, pois, com diligência como andeis, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Portanto, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor".

Nesta passagem, Paulo nos fala que devemos administrar nosso tempo com cuidado, temor e responsabilidade, principalmente no tocante a ouvir a voz do nosso Senhor no meio das atribuições e tribulações do dia-a-dia, porque certamente nossos dias sobre essa terra são maus e daremos conta de tudo o que fizemos (a saber, do nosso tempo) a Deus, segundo Romanos 14:12.

“Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”

O poeta Laurindo Rabelo também nos diz em seus sábios versos que daremos conta do nosso tempo a Deus:

"Deus pede estrita conta de meu tempo,

É forçoso do tempo já dar conta;

Mas, como dar sem tempo tanta conta,

Eu que gastei sem conta tanto tempo?"

Em um curso do SEBRAE sobre empreendedorismo, há uma lição preciosa de como “administrar o tempo é administrar a vida”. Nela, Eduardo Chaves deixa-nos algumas dicas interessantes sobre como gerenciar bem o nosso tempo. São elas, resumidamente:

1) Administrar o tempo não é uma questão de ficar contando os minutos dedicados a cada atividade: é uma questão de saber definir prioridades. NUNCA vamos ter tempo para fazer tudo o que precisamos e desejamos fazer.

2) Dentre as prioridades, algumas são importantes, outras são urgentes. Na lista de todo mundo haverá coisas IMPORTANTES E URGENTES. O problema surge com as que consideramos importantes, mas não urgentes, e com coisas que são urgentes, mas às quais não damos importância.

3) Não somos donos de todo o nosso tempo. Não temos, em relação ao nosso tempo, a autonomia que gostaríamos de ter. Quando aceitamos um emprego, estamos, na realidade, nos comprometendo a ceder a outrem o nosso tempo. Este é um problema real e de solução difícil.

4) Acontece, porém, que geralmente usamos mal o tempo que dedicamos ao trabalho (e, por isso, temos que fazer hora extra ou trazemos trabalho para casa), ou mesmo o tempo que passamos em casa. Usar mal QUER DIZER que muitas vezes usamos o nosso tempo para fazer o que não é nem importante nem urgente, mas apenas algo que sempre fizemos, pela força do hábito.

5) Administrar o tempo é ganhar autonomia sobre a sua vida, não é ficar escravo do relógio. É uma batalha constante, que tem que ser ganha todo dia. Se você quer ter a autonomia de decidir passar mais tempo com a família, ou sem fazer nada, você tem que ganhar esse tempo deixando de fazer outras coisas que são menos importantes.

6) O tempo é distribuído entre as pessoas de forma democrática. Todos os dias cada um de nós recebe exatamente 24 horas. Entretanto, uns conseguem realizar uma grande quantidade de coisas num dia - outros têm o sentimento de que o dia acabou e não fizeram nada. A diferença é que os primeiros percebem que o tempo é um recurso altamente perecível. Um dia perdido hoje não é recuperado depois, é perdido para sempre.

7) Administrar o tempo, em última instância, é planejar estrategicamente a nossa vida. Para isso, precisamos, em primeiro lugar definição de objetivos. O segundo passo é transformar objetivos em metas e decidir como as metas serão alcançadas. O terceiro passo é criar planos táticos: explorar as alternativas específicas disponíveis para se chegar onde queremos chegar. Em quarto lugar, fazer o que tem que ser feito. Durante todo o processo, precisamos estar constantemente avaliando os meios que estamos usando, para verificar se estão nos levando mais perto de onde queremos estar ao final do processo. Se não, troquemos de meios.

8) Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de obter mais. Por isso, tempo é vida. Quem administra o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo. Prolongar a duração de nossa vida não é algo sobre o qual tenhamos muito controle. Aumentar a nossa vida ganhando tempo dentro da duração que ela tem é algo, porém, que está ao alcance de todos. Basta um pouco de esforço e determinação.

Apesar de todas possíveis estratégias sobre como otimizar a utilização do nosso tempo, não colocamos em questão aqui uma importante variável: a intensidade. Diante da infalibilidade da morte, temos duas opções: “viver morrendo ou morrer vivendo” (Horace Kallen). Podemos gastar nossos dias sobre essa terra murmurando, arrumando desculpas e justificativas, deixando-nos levar pela armadilha do tempo, sem ter produzido, sem ter marcado, sem sentimento, sem cor. Somente ter passado os dias mecanicamente, com uma sensação final de desperdício, de perda. A grande aflição não é morrer, mas morrer sem ter vivido, sem ter descoberto o porquê, afinal de contas, vivemos. Morrer vivendo em vez de viver morrendo.

Ed René Kivitz cita-nos três maneiras de viver intensamente, sem rodeios. Começa por: desfrutar a vida; isso é celebrar o que Deus fez de belo e de bom. Segundo, escolha viver. Viver é ter a atitude de quem deseja a vida, em toda e qualquer circunstância dela. Em último, não passe vontade. Assuma a responsabilidade por viver assim e com o zelo de quem não vai deixar a vida passar.

Interessante a letra da canção Epitáfio, do Sérgio Britto:

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer


Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr


Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

A promessa de Deus é restaurar esse mundo e nós nele. Viver com qualidade, intensidade e diligência no tempo é honrar a criação mais perfeita do Senhor, louvando-O e trazendo para Ele e para nós mesmos alegria e felicidade que transbordam para todos os relacionamentos.


Fábio Carvalho / @fabioccarvalho

Confissões de um ex-evangélico


CANSEI! Cansei de acordar pelas manhãs e procurar alguma coisa no mundo “gospel” para “criticar”, seja o que pessoas andam falando/fazendo ou dos últimos assuntos do momento. Não quero mais “bater de frente com ninguém”; quero apenas viver essa GRAÇA DIVINA que me alcança todos os dias e que me dá chances de fazer o que é certo.

CANSEI! Cansei de olhar os meus defeitos nos outros e procurar “desculpas” pra “criticar/julgar” achando que sou o detentor de um conhecimento e que do mesmo se faz uma verdade absoluta para tudo e todos. Estou cansado de viver sobre minha sabedoria humana sem valor, pois:

“Ninguém se engane a si mesmo: se alguém dentre vós se tem por sábio neste século, faça-se estulto para tornar-se sábio” – 1ª Coríntios 3:18

CANSEI! Cansei desse meu conhecimento carnal, que se pauta nesse mundo e em seus olhares; quando meu “conhecimento divino” deveria ser mais do que meros conhecimentos das palavras e das idéias teológicas da Bíblia. Não quero mais ser como o homem natural, que não tem o Espírito (Pois o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus – 1ª Cor 2:14”a”). Quero deixar de lado essas coisas vãs por mais familiarizado que eu esteja com as idéias cristãs.

CANSEI! Cansei de querer mostrar os erros dos “homens de preto” e suas teologias; pois de certa forma estou ficando muito “fanático” e acho que “tudo” está errado e a minha teologia está certa. Quero viver pelo Espírito que irá me conduzir a uma mais profunda compreensão de Deus, como João descreve:

“Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá TUDO o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir” – João 16:13

CANSEI! Cansei de viver a “teologia da apologética”, que me faz olhar para tudo e todos como os hereges (que merecem o inferno); quero apenas ser levado ao arrependimento dos pecados que cometo quanto à segurança da graça de Deus e a certeza da minha eleição para aquilo que fui chamado: “Ir e fazer discípulos” – Mateus 28

CANSEI! Cansei de ser taxado como “crente, gospel, evangélico e derivados”, não quero mais ser chamado por esses pronomes. Quero apenas seguir O mestre, O bom pastor que é Jesus e que me chama sempre: “Venha a mim você que está cansado e sobrecarregado e Eu lhe darei descanso”. Quero descanso pra minh’alma sobrecarregada de julgo e fardos pesados da “religião protestante” que me faz ser “livre”, mas NÃO posso dizer NÃO porque a minha religião NÃO permite.

CANSEI! Cansei de viver como homem tolo e insensato. Não quero mais encontrar dentro de mim impulsos contraditórios, cansei de viver em conflitos e frustrações por viver no “corpo”. Quero “mortificar” meus hábitos, para então experimentar as vitórias contra o pecado, onde ao mesmo tempo em que não são expostas as tentações que não se possa resistir.

Quero ser digno de uma intimidade com Deus, de um relacionamento com o Pai; para que assim como está escrito em Coríntios, Deus se revele a mim:

“Mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito. O Espírito sonda todas as coisas, até mesmo as coisas mais profundas de Deus. Pois, quem dentre os homens conhece as coisas do homem, a não ser o espírito do homem que nele está? Da mesma forma, ninguém conhece as coisas de Deus, a não ser o Espírito de Deus. Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente. Delas também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito, interpretando verdades espirituais para os que são espirituais. Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente. Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido; pois "quem conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo? " Nós, porém, temos a mente de Cristo – 1ª Coríntios 2:10-16

Meu desejo é que possam encontrar em mim um discípulo de Cristo, e que minhas ações, pensamentos e fala reflitam a Cristo, aquele que morreu e venceu; aquele que é O alfa e O Omega, O início e O fim, O leão e O cordeiro. Que não vejam em mim a crítica, mas o AMOR DE DEUS. Que não encontrem em mim “mais” um “crente, gospel, evangélicos e derivados”, mas que encontrem em mim um discípulo de Jesus, e só.

Em Cristo,
@Faysonmerege & @Tpeloevangelho

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Os palhaços são profetas!

A manifestação é sempre pacífica. Mesmo quando agredidos estes irmãos não esboçam reação. Eles já foram roubados, empurrados e xingados com palavras de baixíssimo calão saindo dos microfones de pregadores e cantores gospel famosos.


De cabeça baixa diante da truculência verbal de quem não aceita a Verdade.



Uma cena quase inimaginável há alguns anos. Quem pensaria que um grande pastor como Silas Malafaia iria, em uma cruzada, chamar um irmão seu de babaca e filho do diabo (sic) apenas porque este estaria a carregar uma faixa com nada mais do que um versículo bíblico:


O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males, e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé. I Tm 6:3-10


Mas Silas o fez. Não uma vez, mas em três ocasiões: No Rio de Janeiro, em São Paulo e, mais recentemente no Maranhão. E sabe o pior? Foi aplaudido em pelo menos duas destas vezes. Alguém, realmente cristão, pode conceber algo assim?

O movimento começou em 2010, entre os líderes, o casal Paulo e Vera Siqueira da IEQ e muitos outros blogueiros apologéticos. Alguns irmãos, entre outros, Pablo Silva, também blogueiro,  filmaram os primeiros protestos trazendo espanto aos crentes na internet. Os blogs de maior tráfego e influencia desde 2009 como o Genizah e Púlpito Cristão publicaram reportagens acerca dos protestos, bem como, artigos  dando respaldo bíblico aos manifestantes pacíficos e refutando a teologia "por trás" das marchas. Muitos outros blogs e sites ajudaram nas convocações dos protestos e na denúncia do aproveitamento político destes ajuntamentos de religiosos.



Seguranças truculentos da Renascer afanam faixas de protestantes na marcha São Paulo 2011

Desde então, manifestações espontâneas de outros grupos carregando as mesmas frases tem surgido em diversas marchas, como a mais recente, em Belo Horizonte, convocada por um vídeo produzido pelo blogueiro Mariel Marra – postado neste site - e no site Web Evangelista, de Wagner Lemos – ambos blogueiros de Belo Horizonte.

De tudo o que se tem reportado sobre estas manifestações alguns aspectos saltam aos olhos, pelo seu absurdo, tanto mais em se tratando de um evento liderado, organizado e voltado para o povo de Deus:


Malafaia: São uns babacas!
1) A violência e o comportamento truculento dos líderes. quando confrontados, pacificamente, por um pequeno grupo portando faixas com versículos bíblicos, em meio a uma multidão de frenéticos seguidores de seus trios elétricos. Em São Paulo, tivemos uma irmã grávida empurrada por seguranças dos líderes da Renascer que ainda lhe roubou as faixas de protesto. Em outra ocasião, estes mesmos líderes, orquestraram uma vaia da multidão contra os poucos e indefesos manifestantes. No Rio de Janeiro, Silas Malafaia xingou um grupo que empunha as faixas de protesto e, em outra ocasião, usou de truculência espiritual ao chamar seus irmãos na fé de filhos do diabo. Nesta última manifestação de Belo Horizonte, outro pastor famoso, o Sr. Jorge Linhares, da prestigiada Igreja Batista Getsemani chamou os manifestantes de palhaços e depois propôs à multidão de "marchantes" que o acompanhasse em uma “oração imprecatória” contra o mal presente naquele lugar (no caso, os coitados dos ativistas) e logo orquestrou para que a multidão dirigisse as suas mãos em direção ao pequeno grupo,  enquanto puxava o coro de frases do tipo: “a mão de deus vai pesar sobre vocês” e outras pérolas do breviário de maldições gospel. Que cena de novela!

Parte dos manifestantes da marcha de BH 2011
 2) A esmagadora maioria dos participantes destas manifestações se portam como torcedores de futebol. Não olham mais para Jesus, mas para seus times e os seus técnicos. Ignoram as exortações bíblicas expostas nas faixas e se manifestam com ódio aos ativistas, como se a Palavra de Deus escrita nos cartazes e faixas fosse alguma espécie de palavrão. Apresentam comportamento desordeiro e intimidador, enquanto atendem a ridículos pedidos de seus líderes aboletados em trios elétricos: “PULA PELO AMOR DE DEUS!”; “Deus quer ouvir seu brado de vitória”; e outros gritos de guerra. Nem de perto lembrando aqueles irmãos mártires, que há dois mil anos atrás, frequentavam outro espetáculo para multidões, onde morriam em oração trucidados por feras, justamente por não negarem a um Deus crucificado, humilhado: Um Jesus em nada glorificado nestas micaretas de evangélicos de segunda linha.



De cabeça baixa diante da humilhação, os manifestantes do bem não cansam de lembrar aos desordeiros destas paradas religiosas o quanto suas atitudes são divergentes do Evangelho. Na última manifestação paulistana, os protestantes se dispuseram a varrer um trecho de rua, representativo da imundice deixada por um povo arruaceiro que diz marchar pelo Príncipe da Paz. Resultado: Houve quem se sentisse incomodado com a atitude. Ultrajado na sua própria falta de civilidade! Não faltaram olhares ameaçadores e gritos de impropérios.

É muito bom que estas coisas se cumpram e esta turba veja seus ídolos adornados em ouro humilhando irmãos na fé.

Jorge Linhares impõe a mão em "oração imprecatória" sobre a parte maligna da marcha, no caso os pobres manifestantes, risos. A multidão acompanha e "benze" os ativistas.
Com a motivação certa e a coragem que o Senhor lhes dá, de agora em diante sempre haverá mais e mais irmãos para incomodar esta cambada de exploradores da fé. Não só eles, mas nós aqui nos blogs e sites apologéticos, atingindo milhões, como disse o mano Carlos Moreira, somos a mosca na sopa deles:

Eis aí os inimigos da Cruz de Cristo! Eles estão diante de nossos olhos! Quem ousará os repreender? Quem se levantará contra eles? São feiticeiros do sagrado, traficantes de um “evangelho” falsificado, intermediários do “divino”. Eles se auto-proclamam “apóstolos”, “evangelistas”, “missionários”, “patriarcas”, “bispos”, mas na verdade são sinagoga de satanás, vendilhões de uma religião oca e vazia, de liturgias dessignificadas, de ritos de ocasião, da fé commoditizada, comercializada como produto de supermercado. Mas um dia eles haverão de se encontrar com o Senhor de toda a Terra, estarão diante do Leão da Tribo de Judá, não mais do Cordeiro de Deus.

"marchante de Gizuz " se revolta ao ver versículos bíblicos condenando suas práticas pagãs e lança impropérios aos ativistas.  Na bandana, "Jesus te ama". Já no coração...


Fomos chamados para pregar aquilo que não se quer ouvir, para proclamar aquilo que incomoda. Metemos o dedo na ferida, fazemos a alma virar ao avesso, à consciência arder, o coração se compungir. Sim, o Espírito do Senhor está sobre nós ele nos ungiu para pregar o “dia da vingança do nosso Deus”!


Wagner Lemos: Não somos palhaços, somos cristãos.
Somos Chicos, Veras, Leonardos, Mários, Wagners, Ruys, Ciros, Paulos, Pedros, Fernandos, Robsons, Renatos, Caios, Eliezeres, Joanas, Rodrigos, Alans, Zés, Thiagos,  etc. Somos muitos que não se dobraram. Somos as moscas na sopa desta cambada!

Nas ruas ou nesta internet cristã, temos experimentado um verdadeiro milagre. A partir de poucos pioneiros temos hoje este espaço imenso frequentado por milhões de evangélicos.

Milhares de blogs e sites, cada qual com seu estilo, mas em quase todos, os resultados de uma revolução única no mundo: A teologia popular.


Que maravilha poder ver tantos blogueiros evangélicos talentosos inaugurando esta forma inovadora, coloquial, de discussão teológica e que atrai milhões de crentes, de todas as denominações e diferentes formações a participar de debates calorosos. Uma turma que não está dando brecha para os falsos profetas! Uma geração de crentes que não irá ser petisco destes lobos.

E agora? E dai?

"Primeiro marido" pergunta ao manifestante
o que vem a ser o Evangelho Puro e Simples.
Dai que estamos incomodando. E muito! Os falsos profetas se preocupam com o que escrevemos, ensinamos e noticiamos. Se antes éramos desdenhados, agora somos temidos. Eles leem o que escrevemos e tratam de nos depreciar, denegrir, desmerecer. Somos pastores recalcados, bandidos, invejosos, críticos sem obras, etc. Sabemos que isto não é verdade. O que escrevemos em nossos blogs, a Verdade do Evangelho e a nossa prática bereana estará evidente a quem se dispuser a ler.

E agora acorda até uma parte da igreja adormecida, de uma geração antiga e “cordata”, de líderes voltados somente para o seu próprio rebanho; Ainda que tenha sido somente agora, quando o esgoto podre invadiu seus pequenos arraias.

Levantou-se também parte da geração passiva, a turma do deixa disto, do jeitinho, cordial ao melhor estilo  Buarque de Holanda e que assistiu calada o mal florescer e provocar tamanho estrago no “avivamento” nacional. E quem foi que disse que o cristão deve ser cordial diante da apostasia e da corrupção? Quem foi este profeta contemporizador que não se acha em parte nenhuma da Bíblia? Quem são estes profetas do bom mocismo que boa parte da antiga geração de líderes parece querer imitar? Que acordem os demais santos! Chega deste mundanismo protestante politicamente correto a substituir o princípio Ecclesia semper reformanda est!

Subversivos: Todo cuidado é poucoNão haverá mudança sem confronto.
Observem com cuidado com quem estamos lidando. Estes homens há muito se venderam a uma engrenagem insaciável. Se algum dia foram retos, em dado momento se dispuseram a comprar mais horários de TV, a fazer mais shows, a ter mais igrejas e, para tanto, construíram uma máquina cada vez maior e mais dispendiosa e, para sustenta-la, precisam de mais produtos, mais campanhas, mais ofertas e já não há mais Evangelho e nem Amor.


Estas pessoas estão presas ao orgulho. Vaidade é o motor do ciclo de destruição por elas perpetrado.

Cuidado! Estas pessoas estão viciadas na fama e no poder. A admoestação não lhes pesa o coração, ao contrário, incendeia o pior que há nelas. Estamos enfiando a não na toca da cobra, sem luva. Estamos tocando em onça com a vara curta.

Estes urubus não vão largar sua carniça sem briga. Portanto, ore ao Senhor por direção e conselho, não ceda à tentação da vaidade e permaneçamos juntos. Vigiando e orando.


Recadinho aos falsos profetas 

Vendilhões: Sigam com as campanhas difamatórias contra blogueiros por e-mail, revistas, folhetos e TV. Lamentem suas perdas. Chamem os profetas de filhos do diabo! Façam o que quiserem neste seu desespero! Pois não tenham dúvidas, viemos para fazer esta vossa fonte secar! Pode bater que o fermento só cresce.

O evangelho não é o caminhão do faustão. E este negócio de plante as suas sementes para colher vitória é slogan de banco. Gizuz rendeu quanto este mês, Malafaia? Passou a poupança?





Veja os últimos relatos dos participantes do protesto na Marcha para Jesus em Belo Horizonte, nos seus blogs:

http://estrangeira.wordpress.com/2011/10/12/protestos-pacificos-marcaram-a-marcha-pra-jesus-bh-2011/

http://www.webevangelista.com/2011/10/com-uma-motivacao-simples-e-singela-nos.html

Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2011/10/os-palhacos-sao-profetas.html#ixzz1dFUT1C1l
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Você tem se enganado ?

Olá transformados, tudo bem ? Aceitem a paz de Cristo..

Texto para hojeles: "Se alguém se considera alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo.  Cada um examine os próprios atos, e então poderá orgulhar-se de si mesmo, sem se comparar com ninguém." Gl 6.3,4




Você com certeza conhece alguém que se diz alguma coisa e não é né ..
Eu conheço muitas pessoas que tocam mais não são verdadeiros músicos, mais se dizem profissionais,.outras que se dizem mecanico, e não sabe nem o que é a "rebinboca da parafuzeta" e milhares que se dizem cristãos, pastores, evangelistas, levitas e etc ... e não são.

Já reparou que muitos que batem no peito e gritão eu sou de CRISTO, eu fui chamado por ele e etc, não faz nada a não ser ocupar um espaço ?
Outros que se dizem ser grandes pastores e os seus seguranças não deixa as ovelhas chegarem perto.
Uns se dizem evangelistas, mais só evangeliza os púlpitos das igrejas com pregações que vão levar a igreja a loucura, mais não busca o que está perdido na rua.
Uns se dizem levitas, porém não sabe qual o verdadeiro papel de um.
EU posso me dizer um evangelico, cristão cheio de Deus, Aleluias .. mais o que eu tenho feito para isso ser verdade ? Do que adianta eu falar que eu sou um lider, ou qualquer coisa se eu não cumpro com a minha função ? Se eu digo que sou alguma coisa, e não sou.. apenas estou me enganando e enganando quem me ouve ..

Você tem se enganado ?

#FF @Hermes_Silvaa && @Pensam_Cristaos

terça-feira, 8 de novembro de 2011

A Graça no Gênesis



Muitas mensagens já foram e ainda serão pregadas sobre a Graça de Deus. Sua profundidade é tanta, assim como nossa limitação em entendê-la, que esse assunto jamais será esgotado ou enjoativo. É sempre um deleite compartilhar a Graça. Há alguns anos, eu ouvi essa perspectiva, de um amado irmão, e é sobre ela que eu gostaria de compartilhar (baixe os arquivos em áudio aqui: http://migre.me/65Y8v ). Posso assegurar que esse entendimento mudou a minha percepção sobre o assunto e tem me ajudado a ver um pouco melhor a imensidão e a loucura do amor do nosso Pai.


Como entender essa afirmação de Jesus em João 6:37?


“Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora”.


Ou o que dizer sobre João 10:28?


“Eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão”.


Mas, poderemos questionar: “e se eu falhar? E se eu pisar na bola? E se eu me desviar? E se eu virar as costas pra Deus?”


No Gênesis cap. 15, podemos ver Abraão “cobrando” de Deus uma garantia por Sua Palavra, que lhe daria um descendente e que sua posteridade seria incontável. O v.6 nos diz que ele “creu e isso lhe foi imputado para justiça”. Isso quer dizer que Abraão foi justificado porque creu, por isso nós o chamamos “pai da fé”. Mas, apesar de ter crido, o v.8 revela essa cobrança: “como saberei que hei de possuí-la?”


O antigo testamento e a história nos dizem que as transações comerciais na ocasião eram baseadas no juramento das duas partes, porque não havia contrato escrito. Exemplo: fulano A iria comprar um terreno de B, então ele trazia os animais, os partia pelo meio, ambos passavam entre as metades colocadas umas de frente com as outras e assumiam o compromisso, pelo juramento: Assim me parta Deus se eu não cumprir o que estou dizendo. Pronto, estava selada a negociação e o juramento era a garantia que eles cumpririam sua parte no acordo ou no negócio (Jeremias 34:18 cita sobre isso).


Sabendo como a coisa funcionava naquele tempo, Abraão pergunta isso a Deus, no verso 8. Ele quer dizer: como eu posso ter a certeza que o Senhor vai cumprir essa promessa? Abraão cria que Deus poderia fazer aquilo, dar-lhe um filho, mesmo ele e Sara já serem velhos, mas qual seria a garantia da promessa?


Aí, o nosso amado Senhor mostra como fazer. “Caiu pesado sono sobre Abraão” (v.12) e “densas trevas” estavam sobre o lugar (v.17). Esse termo faz você lembrar algo, outro lugar onde pairavam “densas trevas”? Assim sucedeu que, o fogo do Senhor passou entre as partes e consumiu todo o sacrifício, selando definitivamente a promessa. E Abraão, que permanecia dormindo, não passou pelo meio das partes colocadas. Assim, Deus nos mostra que somente ELE tem a parte nesse juramento, não há nada que o homem possa fazer por isso.


Paulo nos explica quem era o “herdeiro” a quem o Pai de referia em Gn 15:4, na passagem de Gálatas 3:16


“Ora, a Abraão e a seu descendente foram feitas as promessas; não diz: E a seus descendentes, como falando de muitos, mas como de um só: E a teu descendente, que é Cristo”.


Ainda mais, o autor de Hebreus nos abre completamente o que se passou nesse cenário entre Deus e Abraão. Vejamos Hb 6:13-17!

13 “Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, visto que não tinha outro maior por quem jurar, jurou por si mesmo,
14 dizendo: Certamente te abençoarei, e grandemente te multiplicarei.
15 E assim, tendo Abraão esperado com paciência, alcançou a promessa.
16 Pois os homens juram por quem é maior do que eles, e o juramento para confirmação é, para eles, o fim de toda contenda.
17 assim que, querendo Deus mostrar mais abundantemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu conselho, se interpôs com juramento”


Podemos perceber, portanto, que Deus, ao prometer a herança a nós, O fez partindo ao meio o sacrifício do Seu próprio Filho na cruz do Calvário. Jesus Cristo, o Cordeiro perfeito de Deus é a garantia da “imutabilidade do Seu conselho”, da Graça que não exige de nós nenhum esforço, onde todo o trabalho foi consumado enquanto estávamos “dormindo”. Aí, entendemos que a Graça precede toda a Lei, conforme escrito em Gálatas 3:8 – “preanunciou O EVANGELHO a Abraão”!


Que alegria e que conforto temos nesse Deus maravilhoso que fez tudo por nós. Por isso, não há nada que façamos, nenhum pecado, nem o próprio diabo, absolutamente nada poderá nos afastar do amor que nos resgatou!


Romanos 8:32-39 diz:
32 Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas?
33 Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica;
34 Quem os condenará? Cristo Jesus é quem morreu, ou antes quem ressurgiu dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós;
35 quem nos separará do amor de Cristo? a tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?
36 Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas para o matadouro.
37 Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou.
38 Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem potestades,
39 nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.





Que possamos descansar nesse sacrifício de Jesus, que é TODO-INCLUSIVO e TODO-SUFICIENTE para Deus e para nós, sabendo que no seu brado “Tudo está consumado” a salvação perfeita, o dom gratuito e a loucura da Graça pelo amor incondicional aos pecadores estavam totalmente disponíveis pra você e pra mim.






Fábio Carvalho


@fabioccarvalho