quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Não viva de passado

Olá pensadores, tudo bem ?
Aceitem a paz de Cristo ..

 "Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus." Filipenses 3:13-14




Paulo tinha razões para esquecer o passado - havia segurado as vestes daquele que tinham apredejado Estevão, o primeiro mártír (At 7.57,58).
Todos nos já fizemos alguma coisa da qual nos evnergonhamos e vivemos sob a tensão do que já fomos e do que queremos ser.
Entretanto, como nossa esperança está em Cristo, podemos esquecer as culpas do passado e olhar à frente para o que Deus nos ajudará a ser.
Não fique preso ao passado, antes cresça no conhecimento de Deus, concentrando-se no relacionamento que você tem agora com Ele.Entenda que foi perdoado e, então, caminhe em direção a uma vida de fé e obediencia.
Você pode esperar uma vida mais completa e significante por causa de sua esperança em Cristo.

Deus abençoe !

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O Reino de Deus é Construindo entre Amigos


A Carta na íntegra
Ultimamente essa frase tem mexido bastante comigo, pois tenho visto que cada vez mais há um “conflito” entre denominações, cada qual quer mostrar os “seus frutos”, “seus resultados”, “suas boas obras” e blá blá blá.

Se o próprio Jesus disse aos discípulos que os mesmos eram seus amigos, e lhes confiava o que o PAI lhe tinha revelado, porque é então que nós, “cristãos atuais” não fazemos o mesmo; e “construímos o Reino de Deus entre amigos”? Essa é uma pergunta a qual tenho tido dificuldade em responder; ora por mim, ora pelos outros.

No dia 09/12/2011 busquei viver isso na prática, em um trabalho no qual Deus tem me dado graça para continuar; onde ELE sempre foi O Último e O Único recurso do “Projeto com os Garis de Ponta Grossa”. Nesse dia, após 10 meses visitando-os, compartilhando a Palavra, trocando experiências e construindo sonhos, fizemos uma confraternização de fim de Ano. É sempre uma honra e um grande prazer dividir o meu tempo com eles, é onde sou curado dessa maldita doença burguesa e capitalista, aprendendo que pra ser feliz, preciso de AMIGOS e não do DINHEIRO.

Momento da Ceia
Nesse dia, fizemos uma confraternização de final de ano, juntamente com a Ceia. SIM, eu fiz uma CEIA com eles, pois é o SENHOR quem nos convida. Creio que muitos já se esqueceram desses versículos de Paulo aos Corintios.

Quando vocês se reúnem, não é para comer a ceia do Senhor,
porque cada um come sua própria ceia sem esperar pelos outros. Assim, enquanto um fica com fome, outro se embriaga – 1ª Coríntios 11:20-21
.

Pra você, o que significa a CEIA? Pra mim, quando eu divido o pão, significa que divido a minha vida, assim como Jesus “rasgou” sua vida por mim. Quando eu divido o vinho (suco), significa que o mesmo sangue que Jesus verteu na cruz, foi por mim e pelo meu semelhante. Então, quando eu divido o pão e o vinho, eu divido a minha vida com o meu próximo. Porque o pão e o vinho do “ritual/memorial” só fazem sentidos, quando compartilhado com o próximo no dia-a-dia.

Com certeza aquele momento ficará marcado para eles, assim como ficou marcado na minha vida. Vi alguns emocionados, contendo as lágrimas (pois creio que nunca tiveram um momento como àquele); e de fato, foi emocionante. Eu cheguei à minha casa e acabei-me em lágrimas, não pude conter a alegria que em mim contagiava. Liguei para minha namorada e compartilhei um pouco do tínhamos vivido lá.

Cartas e "marca páginas" que fiz para eles.
Estar vivendo esse tempo junto aos garis tem me proporcionado a olhar o mundo sob um novo prisma, pois imagens são como ônibus. Uma imagem não é algo fixo. Imagens são como janelas através das quais olhamos para o que está longe. Cada janela nos oferece uma visão nova. As imagens convidam cada uma a formar sua própria imagem. Elas abrem nossos olhos. Mas deixam-nos também a liberdade de enxergar mais além, se não nos disserem nada. As imagens querem abrir uma janela para que possamos ver Jesus de uma maneira nova. Mostram-nos dele algo que a teologia conceitual não consegue mostrar. Atualizadas, revelam coisas novas na figura de Jesus. Imagens são como ônibus. Elas nos põem em movimento. Levam-nos para frente. Mas os ônibus, às vezes param. Não conseguimos ir mais adiante. Temos então que descer e então tomar outro ônibus; temos que procurar outras imagens que nos permitam descobrir em Jesus coisas novas. 

Acredito que essa experiência está me deixando curado da doença burguesa, e abrindo os meus olhos pra ser mais HUMANO. Hoje, Eles são meus amigos e posso afirmar isso! Sinto-me honrado de estar convivendo com eles e partilhando momentos maravilhosos, onde compartilhamos experiências e construímos sonhos.

Que você também se permita construir o Reino de Deus entre amigos.

Deixo aqui, a minha gratidão por todos que tem orado, ofertado e caminhado junto com esse projeto, creio que assim, continuaremos a viver e construir o Reino de Deus entre amigos.


“Não pode haver testemunho inconfundível onde não haja vida inconfundível. Os cristãos são, portanto, chamados ao arrependimento. Precisam chegar a Cristo, o servo, e deixar que Ele ponha a sua forma distinta sobre ele. Necessitam cuidar para que a Igreja que evangeliza também dê evidências visíveis das credenciais do seu trabalho”


@FaysonMerege


































quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O tempo de Deus






Bom dia transformados de leve na neve ?

Quando falamos de tempo, não falamos de tempo, falamos do AGORA.
Porque de esperar ninguém gosta.

Fiz a seguinte pergunta no twitter:
- Nos de sua opnião sobre, O tempo de Deus (e as respostas estão abaixo)






@TaisaMara - Isso é bem vdd, queremos as coisas para ontem, mas o nosso tempo não é o de Deus. Obrigado pela palavra.
@_Raian - Deus tem.. seu tempo, seu jeito, seu reinoo e eu apenas servo souu, do seu tempoo (8) hehe
@morisesantana - Eclesiastes 3 nos fala sobre o tempo de Deus o versiculo 11 em especial nos diz da formosura do tempo dEle pra nós! resumindo.... o tempo de Deus para nós é formoso, é perfeito!
@PatriciaPatygyn - Eclesiastes 3 resume tudo ne,, ha tempo pra tudo e qd a gente resolve "dar uma maozinha" pra Deus, ih, complica! rrsrs
@iarafbarbosaa - Eu acho q qnd estamos passando pelo #deserto não devemos murmurar. Se somos fiéis ao Pai, Ele é + ainda para nos responder.
@Pandelot - E o tempo de Deus é simplesmente perfeito, pois assim são todas as Tuas obras #ohLord
@taisamara - Esperar em Deus não é uma das tarefas faceis, pq eu creio q significa confiar plenamente no cuidado de Deus... ou seja, deixar de lados as nossas vontades e deixar Ele fazer tudo. Isso é dificil...

Obrigado a todos vocês que responderam.

Então galera, o tempo de Deus é diferente do nosso. Hoje eu postei a seguinte frase no twitter:

Deus não é atendente de Mc Donald's que pediu ta pronto. Existe um tempo para todas as coisas. Que possamos aprender o tempo de Deus !

E isso é uma realidade, nos pedimos as coisas para Deus de manhã e ao meio-dia já que na mão. CALMA !
O trabalhar de Deus em nossas vidas é surpreendente, as vezes nos questionamos colocamos na parede o nosso Criador, porque queremos as coisas naquele instante.
Ai nos parecemos aqueles criancinhas mimadas sabe:
- Mãe eu quero esse
- Não filha, pronto e acabou !
- Mãe você não me ama né, (choro, birra e etc.)
Nos muitas vezes fazemos isso diante de Deus, por não coompreender o seu tempo para nos.
Ficamos questionando a Deus, "porque eu não tenho um namorado(a) ainda", "ah eu já clamei, já pedi e eu ainda não consegui isso" e etc...
O que Deus tem para as nossas vidas é muito maior, do que um desejo de aqui e agora.
Ele tem os seus sonhos e seus projetos nas mãos, e para realiza-los leva um tempo.
Que possamos aprender com Salomão (Ec. 3), existe um tempo debaixo de céus para todas as coisas.

Será que estamos aprendendo a esperar o tempo de Deus ? (refilta)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A perspectiva da ressurreição

Será que possuímos essa perspectiva? Vamos refletir em algumas questões importantes que pode respon-der-nos essa pergunta:



1.Enxergamos a vida plena e abundante apenas para depois da morte, ou também em meio à morte? Eis aí uma questão crítica. É fácil crer na ressurreição que ocorrerá no fim dos tempos, mas será que esperamos em Cristo, em nossas circunstâncias atuais?
Naquela Páscoa, os discípulos só viam tragédia. Não conseguiam ver a ressurreição, porque estavam o-lhando para o túmulo. E nós também, diante de uma tragédia, muitas vezes agimos da mesma forma; é difí-cil ver Jesus em meio ao caos. Só conseguiremos isso se estivermos olhando a vida com a perspectiva da ressurreição.

2. Nossa vida não é mais segundo a carne, mas segundo o Espírito?
Paulo nos afirma: “Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos a Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo.” (2 Cor 5.16)
O segredo para se entender a vida ressurreta é compreender que não vemos Jesus mais segundo a carne. Isso significa que temos que enxergá-lo pela perspectiva da ressurreição. O Jesus que temos de adorar não é mais uma Pessoa Física, que caminhou pela Galiléia; adoramos o Jesus que subiu aos céus.

3. Sabemos depender do Espírito Santo em vez de confiarmos em nossas habilidades naturais?
Se assim agirmos, nossa vida será radicalmente diferente. Com a ressurreição de Cristo, o Espírito Santo passou a estar ao nosso alcance, de modo que podemos viver como ele quer que vivamos. “E porque vós sois filhos, enviou Deus aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama Aba, Pai.” (Gl 4.6) Não vi-vemos mais pela nossa própria força.
Os apóstolos Pedro e Paulo são dois ótimos exemplos das grandes transformações que uma pessoa pode ter em conseqüência do poder da ressurreição. Antes da ressurreição, Pedro fazia promessas, votos e com-promissos, mas geralmente deixava de cumpri-los. Certo dia, Jesus lhe disse: “Tu, pois, quando te converte-res, fortalece os teus irmãos.” (Lc 22.32) Em outras palavras, quando você se converter, terá também uma nova perspectiva, e passará a ver que suas forças virão do Espírito, e não de si mesmo. E na verdade Pe-dro viveu seu próprio Getsêmani, a negação, a separação do Mestre e posterior restauração. Tornou-se outro homem, e depois disso, sua vida passou a ser uma demonstração do poder do Espírito Santo, e não das fraquezas de um homem comum.
Paulo também passou por transformações grandiosas. Ele era perseguidor da Igreja, e blasfemo. Um dia, na estrada de Damasco, ele encontrou a luz de Jesus e ficou cego. Quando recuperou a visão, passou a enxergar tudo com essa nova perspectiva. Naquele encontro com Cristo, Deus, tocou seu coração, transfor-mou-o, tornando-o uma das maiores testemunhas do Cristo vivo que a Bíblia registra.

A morte e ressurreição de Jesus nos capacitam a ver a vida pela perspectiva dele.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Tem dia que religiosidade desanima...

Bom dia galera, eu estava perambulando pelo blog do @PrAndreQueiroz e me deparei com esse texto. Quero compartilhar com vocês. Se liga ..



Sério... sempre que alguém elogia a outro ser-humano e diz que ele "é o cara" já aparece alguém dizendo: "Discordo, Jesus é o cara..."

As vezes é pior ainda.

Quando alguém diz que adora uma comida, está obviamente dizendo que gostou e não que literalmente se prostra e adora o alimento. Se é tão óbvio assim até para uma criança entender por que algumas pessoas tentam dar uma lição de moral ignorante e totalmente desnecessária dizendo: "Eu só adoro a Jesus"?

Outro dia eu brinquei com um pastor dizendo que a reunião seria melhor pelo fato de eu estar usando a camisa do São Paulo (uma piada óbvia) e a resposta dele foi: Isto é muita idolatria...

Ei pastor, me poupe!

Chego a conclusão que pessoas desorientadas na fé não sabem fazer o bem e acham que esse tipo de religiosidade barata é atraente. Aqui vai um recado: Existem poucas coisas mais ridículas do que este tipo de comportamento. Ele não edifica, não ajuda, não constrói, não muda a igreja e muito menos a sociedade.

Julgar é exatamente isso; interpretar a palavra das pessoas negativamente mesmo que seja óbvio que a intenção não era aquela.

Ficam as perguntas para todos nós pensarmos. Vale a pena ser deste jeito? Isto é fé? Esta é a melhor ocupação disponível para os filhos de Deus?

VAMOS ACORDAR GALERA!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Eis-me aqui?


Cristãos Queimados vivos na Nigéria

É complicado você olhar para si mesmo e muitas vezes não ter resposta pra essa simples pergunta. Será mesmo que quando dizemos: “Eis-me aqui Senhor”? Estamos realmente dispostos a obedecer a esse chamado?

Estamos tão cegos que somente o culto de domingo é a nossa “prioridade”. Ou então vamos porque temos algumas “funções” na Igreja e pensamos: “tenho que tocar no louvor, tem que ministrar o cultinho para as crianças, etc.”. Mas a grande verdade é que esses pensamentos são como os dos fariseus, que faziam (cumpriam) suas funções meramente por “OBRIGAÇÃO”. Deus não precisa do meu serviço ou de qualquer um que seja ELE é DEUS, o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim.

Nós deveríamos ser somente como o barro nas mãos do oleiro, ser moldado segundo o caráter de Cristo diariamente, deixar que a Palavra de Deus nos transforme e que possamos “devorar” a Bíblia, deixando-a ler a nossa própria vida. Eu e você por natureza somos maus, e não importa quão “boas obras” façamos para o Reino de Deus, se não houver o agir e o efetuar do Espírito Santo, se não houver amor, fé mostrada em mansidão de sabedoria será morta.

Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade - Filipenses 2:13

Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta Tiago - 2:26

Deus não está interessado em nossos sacrifícios tolos, não quer nos ver sentado em bancos de igrejas como pregos, tão pouco que entremos em “ministérios” para termos uma função e “obrigação” na igreja. Deus não quer nossas boas obras que irão nos mostrar que somos bom, que fazemos algo para o próximo, que nos preocupamos ou isso ou aquilo. Deus conhece nosso coração, não há como esconder d’Ele coisa alguma. Para mim, boas obras são resultados da sua , reflexo daquilo que você acredita e conseqüência do agir e efetuar do Espírito Santo em sua vida.

Isaías respondeu a esse chamado:

"Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim" - Isaías 6:8

Cristãos Mortos na Etiópia
A missão de Isaias se tornou paradoxal em seus efeitos, tal como o é a da proclamação da palavra de Deus (leia Mateus 13:13-15; Romanos 11:7-10,25). Quando Deus diz a Isaías VAI, a palavra profética cerrou o caminho de Deus para os rebeldes, orgulhosos e hipócritas (Cap 29:13-16; 65:1-7), mas o abre para os surdos, os cegos, os humildes e os pobres (Cap 29:18-19).

A resposta para o MEU e o SEU “Eis-me” aqui é essa: Que andemos com os leprosos, os mendigos, as prostitutas, os pobres, as viúvas, os órfãos, etc.

Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes.
Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento - Mateus 9:12-13

Você está disposto?

Boa Semana a Todos,
Em Criso,
@Faysonmerege

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O que temos plantado ?



Olá transformados tudo bem com vocês ?

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.
Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.  Gálatas 6:7,8

Certamente você ficaria surpreso se plantasse milho e colhesse aboborá. A lei natural diz que colhemos o que plantamos, e isso também é verdadeiro para outras áreas.
Aqueles que fazem mexericos a respeito de seus amigos perderam a amizade deles. Toda ação tem sua reação.
Se plantar para satisfazer o seus próprios desejos, terá uma colheita de tristeza e pecados.
Se plantar para agradar a DEUS, colherá alegria e vida eterna.

Que éspecie de semente temos plantado ?

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Imagens são como ônibus

Uma imagem não é algo fixo. Imagens são como janelas através das quais olhamos para o que está longe. Cada janela nos oferece uma visão nova. As imagens convidam cada uma a formar sua própria imagem. Elas abrem nossos olhos. Mas deixam-nos também a liberdade de enxergar mais além, se nãos nos disserem nada.

As imagens querem abrir uma janela para que possamos ver Jesus de uma maneira nova. Mostram-nos dele algo que a teologia conceitual não consegue mostrar. Atualizadas, revelam coisas novas na figura de Jesus. Imagens são como ônibus. Elas nos põem em movimento. Levam-nos para a frente. Mas o ônibus, às vezes param. Não conseguimos ir mais adiante. Temos então que descer e então tomar outro ônibus; temos que procurar outras imagens que nos permitam descobrir em Jesus coisas novas.

Optamos por algumas imagens tradicionais de Jesus, mas também por outras dimensões desconhecidas que, à primeira vista, podem nos parecer estranhas. Escolhemos propositalmente algumas imagens estranhas para que não refletissem os clichês conhecidos que sempre são usados em muitas pregações, mas que permanecem sem efeito. As imagens de Jesus querem nos fazer bem. Querem não apenas nos mostrar Jesus sob uma luz diferente, mas também nos convidar a um novo estilo de vida. As imagens de Jesus também são sempre imagens de uma vida bem-sucedida.

Mas a decisão de esboçarmos uma simples série de imagens, em vez de escrevermos uma história ou uma teologia sistemática de Jesus, também tem sua razão teológica. As imagens nos mostram que, em última análise, Jesus não pode ser apreendido, ele sempre escapa aos nossos conceitos. Por outro lado, as imagens que escolhemos não são inventadas. Todas têm por objetivo trazer para mais perto de nós o Jesus histórico. Jesus é uma pessoa histórica, um acontecimento histórico. Sua vida e atuação podem ser reconstruídas a partir dos dados dos evangelhos. Já no ano 90 d.C. o grego Lucas colocava os acontecimentos da vida de Jesus dentro de uma moldura histórica. O que lhe importava era o fato de Jesus haver mudado o curso dos acontecimentos. Sua história não se encerra com sua morte. Ela continua. Partindo de Nazaré, na Galileia, e passando por Jerusalém, a cidade sagrada do judaísmo, tem início um movimento que se espalha pelo mundo inteiro até chegar a Roma, a capital do Império Romano. Ainda hoje esse movimento continua vivo, tendo, como nenhum outro, modificado a história.


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO?


Existem alguns textos da Palavra de Deus, que me fazem pensar por dias, meses e até anos.
Estou meditando há uns 5 anos sobre o texto de Isaías 58. Inclusive, meu segundo projeto de livro, no qual já estou trabalhando, vai ser em torno desse texto.
Mas já fazem alguns dias que tenho meditado no texto de Tiago 4:17, que diz assim:
“Aquele, pois, que sabe o bem que deve fazer e não o faz, comete pecado.”
Nós sempre achamos que para viver uma vida reta diante de Deus, basta nos esforçarmos e lutarmos para não fazer coisas erradas. Basta entrarmos numa luta ferrenha contra o pecado, contra a carne, contra o mundo. Basta mantermos nossas convicções em meio ao caos moral em que vivemos. Mas isso não é o suficiente.
Esse texto diz que, se eu sei que devo fazer algo que é correto, se eu tenho a oportunidade de fazer o bem, de ser sal e luz. Se eu tenho a oportunidade de ajudar alguém, e não o faço, seja por preguiça, comodismo, ou indiferença, eu estou pecando.
É isso que a Bíblia diz. Deus não nos chamou para uma vida de omissão. Antes, Deus espera de nós que tenhamos INICIATIVA. Iniciativa de viver na prática os seus ensinamentos. 
Se não fazemos aquilo que está ao nosso alcance fazer, estamos pecando.
Hoje toda vez que entro no twitter, no facebook ou na internet,  leio artigos criticando a igreja. De como a igreja está ‘perdida’, desvirtuada. Pastores e líderes caminhando em  uma ‘unção’ desenfreada por dinheiro e poder, e pouco amor para com o próximo. Pouca palavra. Pouco ensino.
E eu concordo que a igreja, de um modo geral, perdeu seu rumo.
Mas o que me preocupa é outra coisa.
A igreja, na minha concepção, é formada por pessoas.
E aí eu pergunto: o que é que você tem feito?
Como está a sua vida com Deus, meu irmão, minha irmã? Você tem orado, tem lido a Bíblia, tem falado com Deus? Se eu te perguntar agora, o que Deus falou com você nesta semana, você teria o que compartilhar?
Porque meu querido, minha querida, não é a igreja, nem o pastor que vai te levar para o céu. Mas sim uma fé autêntica no Senhor Jesus.
E hoje, infelizmente, está difícil de achar crente autêntico.
Tem crente com os `dedos` afiados na internet, descendo a lenha nas heresias e nas verdadeiras balsfêmias e profanações ocorrendo dentro da igreja.
Mas será que têm o mesmo afinco em buscar SER igreja?
Você está praticando os mandamentos do Senhor? Você está buscando viver uma vida de Santidade, Obediência e Renúncia?
Tem buscado praticar esse versículo de Tiago 4.17?
Se a maioria dos crentes se ocupasse mais em buscar ao Senhor, buscar conhecê-Lo, consagrar-se pra Ele, do que ficar na rede, criticando tudo o que está de errado na igreja, muita coisa seria diferente.
Se postássemos mais versículos, compartilhássemos mais revelações do Senhor, nós estaríamos usando a rede para edificação, e quem sabe, sendo instrumentos para a renovação da mente de muitas pessoas.
A igreja está mal sim. Muitas coisas estão erradas.
Mas e vc? Você realmente está buscando a Deus, e querendo viver uma vida de poder?
A vida cristã é mais do que discussão sobre quem está pregando heresia ou não.
A vida com Deus é feita em secreto, em oração, em jejum, em renúncia, em serviço ao próximo. 
O resto é conversa. E de conversa, o mundo está cheio.
O mundo precisa é de vida. Vida cristã autêntica. Vida que transmite o amor de Deus. Vida que pode ser usada por Deus.
Fica aqui portanto, essa reflexão. Fica aqui a pergunta: O que você está fazendo?

Originalmente publicado no blog WebEvangelista pela editora Juliana

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Desistir ?

Pensando em Desistir ? Jesus foi até o fim e venceu. http://twitpic.com/7bz3nr


Acho que todos nos já pensamos em desistir alguma vez na vida né.
Agora vamos ver uma coisinha, ninguém, ABSOLUTAMENTE NINGUÉM conquistou, ou conseguiu algo sem perseverança sem animo, sem dedicação ..
O que acontece hoje é que nos achamos que por sermos cristãos, nos somos super, tudo tem que acontecer do jeito que queremos, porém esquecemos que é Cristo o engenheiro da nossa vida.
Ai o tempo passa as coisas não acontece, alguns problemas surgem, e o que nos fazemos desistimos ...

Será que Cristo desistiria ? Será que ele abandonaria, o seu proposito por causa de alguns problemas, ou porque a sua oração ainda não foi atendida .. Ele não desistiu da cruz, para que nos não viéssemos a desistir da vida (Hermes Silva)

"Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo" João 16:33

Não desista, siga em frente .. pois JESUS já venceu o mundo e até a morte, e no nome dele nos somos mais que vencedores ..

Não desista insista ♫♫'

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Tempo, mano velho


Vivendo em um mundo absolutamente agitado, globalizado, imediatista, de resultados cobrados e esperados, defrontamo-nos com uma crise sem precedentes na gestão do nosso tempo. Inúmeros itens, profissionais ou domésticos, úteis ou fúteis, seculares ou sagrados, “roubam-nos” minutos preciosos que fazem dissipar o dia. Fica a impressão que, pra tudo o que temos ou gostaríamos de fazer, o dia necessitaria de umas 34 horas. A questão é: como dividir o tempo entre todas as tarefas que necessitam ser realizadas? Onde está o manual de gestão do tempo com sabedoria?

Quando olhamos para as escrituras, observamos que o Espírito Santo também se preocupa com esse tópico das nossas vidas. Antes de qualquer abordagem, a Bíblia nos assegura como somos efêmeros, de passagem rápida por este mundo.

Os meus dias são como a sombra que declina, e eu, como a erva, me vou secando.” Salmo 102:11

Logo, resta-nos utilizar bem a ferramenta do tempo para que a nossa vida tenha uma boa história a ser contada, um legado a ser conhecido por gerações que nos sucederão.

O livro de Eclesiastes dá-nos algumas boas direções sobre o tempo da nossa vida. O capítulo 3, versos de 1-8 falam sobre o “tempo das coisas”, isto é, tudo tem o seu tempo determinado debaixo do sol. Interessante observar como o autor joga as frases com as antíteses (nascer, morrer; espalhar, ajuntar; guerra, paz) e como ele enfatiza o que para muitos de nós seria indubitável perda. Há, efetivamente, tempo de morrer, tempo de arrancar, de derribar, de espalhar, de apartar, de perder, de lançar fora, há tempo de ficar calado. Na esfera da pró-atividade, reatividade ou hiperatividade que nos cerca sem cessar, é difícil admitir que exista o tempo de abrir mão de determinadas coisas ou até ser o agente ativo de sua destruição, para o nosso próprio bem, obedecendo a uma ordem estipulada por Deus.

Outro importante texto sobre o tempo é citado em Efésios 5: 15-17.

"Vede, pois, com diligência como andeis, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Portanto, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor".

Nesta passagem, Paulo nos fala que devemos administrar nosso tempo com cuidado, temor e responsabilidade, principalmente no tocante a ouvir a voz do nosso Senhor no meio das atribuições e tribulações do dia-a-dia, porque certamente nossos dias sobre essa terra são maus e daremos conta de tudo o que fizemos (a saber, do nosso tempo) a Deus, segundo Romanos 14:12.

“Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”

O poeta Laurindo Rabelo também nos diz em seus sábios versos que daremos conta do nosso tempo a Deus:

"Deus pede estrita conta de meu tempo,

É forçoso do tempo já dar conta;

Mas, como dar sem tempo tanta conta,

Eu que gastei sem conta tanto tempo?"

Em um curso do SEBRAE sobre empreendedorismo, há uma lição preciosa de como “administrar o tempo é administrar a vida”. Nela, Eduardo Chaves deixa-nos algumas dicas interessantes sobre como gerenciar bem o nosso tempo. São elas, resumidamente:

1) Administrar o tempo não é uma questão de ficar contando os minutos dedicados a cada atividade: é uma questão de saber definir prioridades. NUNCA vamos ter tempo para fazer tudo o que precisamos e desejamos fazer.

2) Dentre as prioridades, algumas são importantes, outras são urgentes. Na lista de todo mundo haverá coisas IMPORTANTES E URGENTES. O problema surge com as que consideramos importantes, mas não urgentes, e com coisas que são urgentes, mas às quais não damos importância.

3) Não somos donos de todo o nosso tempo. Não temos, em relação ao nosso tempo, a autonomia que gostaríamos de ter. Quando aceitamos um emprego, estamos, na realidade, nos comprometendo a ceder a outrem o nosso tempo. Este é um problema real e de solução difícil.

4) Acontece, porém, que geralmente usamos mal o tempo que dedicamos ao trabalho (e, por isso, temos que fazer hora extra ou trazemos trabalho para casa), ou mesmo o tempo que passamos em casa. Usar mal QUER DIZER que muitas vezes usamos o nosso tempo para fazer o que não é nem importante nem urgente, mas apenas algo que sempre fizemos, pela força do hábito.

5) Administrar o tempo é ganhar autonomia sobre a sua vida, não é ficar escravo do relógio. É uma batalha constante, que tem que ser ganha todo dia. Se você quer ter a autonomia de decidir passar mais tempo com a família, ou sem fazer nada, você tem que ganhar esse tempo deixando de fazer outras coisas que são menos importantes.

6) O tempo é distribuído entre as pessoas de forma democrática. Todos os dias cada um de nós recebe exatamente 24 horas. Entretanto, uns conseguem realizar uma grande quantidade de coisas num dia - outros têm o sentimento de que o dia acabou e não fizeram nada. A diferença é que os primeiros percebem que o tempo é um recurso altamente perecível. Um dia perdido hoje não é recuperado depois, é perdido para sempre.

7) Administrar o tempo, em última instância, é planejar estrategicamente a nossa vida. Para isso, precisamos, em primeiro lugar definição de objetivos. O segundo passo é transformar objetivos em metas e decidir como as metas serão alcançadas. O terceiro passo é criar planos táticos: explorar as alternativas específicas disponíveis para se chegar onde queremos chegar. Em quarto lugar, fazer o que tem que ser feito. Durante todo o processo, precisamos estar constantemente avaliando os meios que estamos usando, para verificar se estão nos levando mais perto de onde queremos estar ao final do processo. Se não, troquemos de meios.

8) Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de obter mais. Por isso, tempo é vida. Quem administra o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo. Prolongar a duração de nossa vida não é algo sobre o qual tenhamos muito controle. Aumentar a nossa vida ganhando tempo dentro da duração que ela tem é algo, porém, que está ao alcance de todos. Basta um pouco de esforço e determinação.

Apesar de todas possíveis estratégias sobre como otimizar a utilização do nosso tempo, não colocamos em questão aqui uma importante variável: a intensidade. Diante da infalibilidade da morte, temos duas opções: “viver morrendo ou morrer vivendo” (Horace Kallen). Podemos gastar nossos dias sobre essa terra murmurando, arrumando desculpas e justificativas, deixando-nos levar pela armadilha do tempo, sem ter produzido, sem ter marcado, sem sentimento, sem cor. Somente ter passado os dias mecanicamente, com uma sensação final de desperdício, de perda. A grande aflição não é morrer, mas morrer sem ter vivido, sem ter descoberto o porquê, afinal de contas, vivemos. Morrer vivendo em vez de viver morrendo.

Ed René Kivitz cita-nos três maneiras de viver intensamente, sem rodeios. Começa por: desfrutar a vida; isso é celebrar o que Deus fez de belo e de bom. Segundo, escolha viver. Viver é ter a atitude de quem deseja a vida, em toda e qualquer circunstância dela. Em último, não passe vontade. Assuma a responsabilidade por viver assim e com o zelo de quem não vai deixar a vida passar.

Interessante a letra da canção Epitáfio, do Sérgio Britto:

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer


Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr


Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

A promessa de Deus é restaurar esse mundo e nós nele. Viver com qualidade, intensidade e diligência no tempo é honrar a criação mais perfeita do Senhor, louvando-O e trazendo para Ele e para nós mesmos alegria e felicidade que transbordam para todos os relacionamentos.


Fábio Carvalho / @fabioccarvalho

Confissões de um ex-evangélico


CANSEI! Cansei de acordar pelas manhãs e procurar alguma coisa no mundo “gospel” para “criticar”, seja o que pessoas andam falando/fazendo ou dos últimos assuntos do momento. Não quero mais “bater de frente com ninguém”; quero apenas viver essa GRAÇA DIVINA que me alcança todos os dias e que me dá chances de fazer o que é certo.

CANSEI! Cansei de olhar os meus defeitos nos outros e procurar “desculpas” pra “criticar/julgar” achando que sou o detentor de um conhecimento e que do mesmo se faz uma verdade absoluta para tudo e todos. Estou cansado de viver sobre minha sabedoria humana sem valor, pois:

“Ninguém se engane a si mesmo: se alguém dentre vós se tem por sábio neste século, faça-se estulto para tornar-se sábio” – 1ª Coríntios 3:18

CANSEI! Cansei desse meu conhecimento carnal, que se pauta nesse mundo e em seus olhares; quando meu “conhecimento divino” deveria ser mais do que meros conhecimentos das palavras e das idéias teológicas da Bíblia. Não quero mais ser como o homem natural, que não tem o Espírito (Pois o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus – 1ª Cor 2:14”a”). Quero deixar de lado essas coisas vãs por mais familiarizado que eu esteja com as idéias cristãs.

CANSEI! Cansei de querer mostrar os erros dos “homens de preto” e suas teologias; pois de certa forma estou ficando muito “fanático” e acho que “tudo” está errado e a minha teologia está certa. Quero viver pelo Espírito que irá me conduzir a uma mais profunda compreensão de Deus, como João descreve:

“Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá TUDO o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir” – João 16:13

CANSEI! Cansei de viver a “teologia da apologética”, que me faz olhar para tudo e todos como os hereges (que merecem o inferno); quero apenas ser levado ao arrependimento dos pecados que cometo quanto à segurança da graça de Deus e a certeza da minha eleição para aquilo que fui chamado: “Ir e fazer discípulos” – Mateus 28

CANSEI! Cansei de ser taxado como “crente, gospel, evangélico e derivados”, não quero mais ser chamado por esses pronomes. Quero apenas seguir O mestre, O bom pastor que é Jesus e que me chama sempre: “Venha a mim você que está cansado e sobrecarregado e Eu lhe darei descanso”. Quero descanso pra minh’alma sobrecarregada de julgo e fardos pesados da “religião protestante” que me faz ser “livre”, mas NÃO posso dizer NÃO porque a minha religião NÃO permite.

CANSEI! Cansei de viver como homem tolo e insensato. Não quero mais encontrar dentro de mim impulsos contraditórios, cansei de viver em conflitos e frustrações por viver no “corpo”. Quero “mortificar” meus hábitos, para então experimentar as vitórias contra o pecado, onde ao mesmo tempo em que não são expostas as tentações que não se possa resistir.

Quero ser digno de uma intimidade com Deus, de um relacionamento com o Pai; para que assim como está escrito em Coríntios, Deus se revele a mim:

“Mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito. O Espírito sonda todas as coisas, até mesmo as coisas mais profundas de Deus. Pois, quem dentre os homens conhece as coisas do homem, a não ser o espírito do homem que nele está? Da mesma forma, ninguém conhece as coisas de Deus, a não ser o Espírito de Deus. Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente. Delas também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito, interpretando verdades espirituais para os que são espirituais. Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente. Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido; pois "quem conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo? " Nós, porém, temos a mente de Cristo – 1ª Coríntios 2:10-16

Meu desejo é que possam encontrar em mim um discípulo de Cristo, e que minhas ações, pensamentos e fala reflitam a Cristo, aquele que morreu e venceu; aquele que é O alfa e O Omega, O início e O fim, O leão e O cordeiro. Que não vejam em mim a crítica, mas o AMOR DE DEUS. Que não encontrem em mim “mais” um “crente, gospel, evangélicos e derivados”, mas que encontrem em mim um discípulo de Jesus, e só.

Em Cristo,
@Faysonmerege & @Tpeloevangelho